Quando uma árvore é plantada, leva tempo para que o primeiro fruto apareça, assim como a primeira flor. É necessário passar por todas as estações do ano para que a mesma árvore volte a florescer. É um processo belo de se assistir, bem como os animais em seus habitats se organizando para receber as estações do ano – as formigas que levam folhas para baixo da terra para se preparar para o inverno; cigarras que iniciam sua cantoria para anunciar a chegada das chuvas; as baleias que percorrem longas distâncias no período de acasalamento. 

A natureza cíclica com seus lentos processos e, ainda assim, perfeita, traz para nós o ensinamento de uma virtude cada vez mais esquecida nas atividades do dia-a-dia: a paciência. 

Frequentemente reclamamos por estarmos no final de uma fila longa, pelo tempo que não passa para terminar o expediente do trabalho, pelo trânsito que tanto demora e mil de outras situações. Agindo dessa forma, esquecemos que só existe o momento presente e de torná-lo prazeroso. Certamente não é uma tarefa fácil, mas se porventura você se pegar numa fila longa, que tal colocar uma música que você gosta de ouvir no celular, ou observar as pessoas e o ambiente a sua volta, e quem sabe até fazer amigos? 

Algo importante a ser lembrado é que não temos controle do que pode nos acontecer, incluindo imprevistos e atrasos. Ao compreender isto, tendemos a ser mais pacientes com as pessoas a nossa volta e nós mesmos. Sentimentos como ansiedade ou raiva que surgem em situações de estresse diminuem sua intensidade, pois quanto mais paciência se cultiva, maior a facilidade na tomada de decisão diante de dificuldades. 

Sendo assim, aprendemos a não descontar em terceiros os nossos aborrecimentos com coisas que saíram do controle porque os fatos simplesmente se sucederam de forma inusitada, sem nenhum culpado. 

Isso se reflete diretamente no convívio do lar e nas relações interpessoais. Mães e pais mais pacientes conseguem lidar mais compreensiva e amorosamente e na educação de seus filhos. Se a figura materna ou paterna for representada por essas características, provavelmente filhos e filhas reproduzirão tal comportamento inconscientemente, dentro e fora de casa.

Quando usamos a virtude da paciência nas mais diversas situações, aprendemos a respeitar nossos processos, a ter autocompaixão e perseverança; a saber que cada um tem seu tempo, e que, não é porque o outro já está fazendo ou vivendo algo, necessariamente você deveria estar em igual situação. Com trabalho e afinco, é possível alcançar seus objetivos e, fazendo um pouco a cada dia, já é o suficiente para saber que se está no caminho certo. A paciência traz a firmeza e a capacidade para caminharmos em direção a nossos sonhos, fazendo vibrar dentro de nós um sentimento de esperança. 

E quantas vezes tenta-se fazer algo sem gerar o resultado esperado? A paciência vem nos trazer a noção de que, quando isso acontece, não significa que houve fracasso, mas sim sucesso em saber que aquele não é o melhor caminho a se tomar. A virtude fala sobre olhar para as experiências sem resultados favoráveis e entender que estas nada mais são do que aprendizados para a excelência. 

Há exemplos de figuras muito bem sucedidas atualmente que passaram por processos que, sem paciência não seriam tão prósperos. 

A escritora J.K. Rowling, que é autora da história, que é sucesso mundial Harry Potter, teve o manuscrito de seu livro rejeitado por algumas editoras, mas acreditou em seu potencial e não descansou até chegar ao êxito. Hoje ela é uma das escritoras mais bem remuneradas do mundo.

O rapper Jay-Z também foi perseverante com seus objetivos. Não conseguindo ser contratado por nenhuma gravadora, mas, acreditando em seu sonho, começou a vender seus CD’s no porta-malas do carro. Resultado: atualmente é um dos rappers mais reconhecidos no mundo. E esses são só alguns casos de sucesso.

Ao olhar para o mundo com um toque de paciência, relacionamentos mais saudáveis são cultivados, o estresse diminui e há persistência para a realização dos sonhos. Uma vez que treinamos a prática paciente, aprendemos a lidar de forma madura com o descontrole que temos com relação aos acontecimentos da vida, sabendo que o seu esforço tem valor e que aprender com os erros pode ser apenas o melhor caminho para a chegada ao sucesso e realização.