O sentimento de ódio tem por definição normalmente como sendo uma antipatia intensa sentida para com outra pessoa. Você tem o direito de não se sentir agradado por alguém, porém odiar outra pessoa pode significar que existe algo de errado e não está resolvido energicamente dentro de você.

E isso precisa ser analisado com muita paciência e perseverança, se você possui o desejo de não possuir este tipo de sentimento.

Não posso deixar de mencionar aqui que o sentimento de ódio é extremamente destrutivo e tóxico para estar entranhado em você, e isso muitas vezes pode parecer que você se sinta até em estado de loucura.

É possível também que ele acabe te levando a uma doença física e pode contribuir para sua instabilidade espiritual e emocional.

Não vale a pena viver uma vida carregando ódio por outra pessoa quando se tem a possibilidade de se trabalhar este sentimento e resolvê-lo.

É por isso que vou ajudar você a analisar alguns fatores que você pode fazer quando sentir este tipo de sentimento em relação a outra pessoa.

Pergunte-se: Isso é de verdade mesmo?

Nós possuímos o hábito de tornar verdade absoluta nossos pensamentos e emoções iniciais, quando em sua maioria, quando em sua maioria são apenas sentimentos, impulsos ou reações egoístas.

E mesmo assim por muitas vezes são meras reações, até fundamentadas em algumas verdades, nós ainda possuímos a tendência a criar histórias desnecessárias em volta de situações e acreditamos nesta existência.

Vou dar um exemplo: suponha que um “amigo” seu vá dormir com sua ex sem você saber e releva isso nas redes sociais. Inicialmente pode surgir em sua mente algo do tipo “essa pessoa me traiu… eu odeio eles por isso.”

Agora, analise o que acontece com suas energias internas quando modificamos o pensamento por “essa pessoa agiu por um comportamento de acordo com a sua consciência no momento, e eles certamente não tiveram a capacidade e sabedoria de perceber que não era adequado para o momento.”

As duas estão corretas, porém o primeiro vem do seu inconsciente e acaba por transformá-lo em uma vítima, enquanto o segundo pode ser considerado de maior evolução e compreensão e lhe dará o poder de volta.

É possível que talvez eles nem sequer o traíram, eles apenas se sentiram extremamente magoados por algo que você fez e acabaram por não possuírem o discernimento de como expressar isso para você.

Por muitas vezes, não conseguimos nos questionar se tínhamos ou não algo a ver com tal comportamento. É necessário uma análise interior para verificar os fatos e perceber o quanto de sua energia contribuiu para que tal fato acontecesse.

Quando sentir ódio novamente por alguém, pergunte-se sobre os fatos que você mantém, questionando-se o quanto possui de participação sobre tais situações.

Se você está como eu estou, de bem com todos, você vai perceber que muitos dos fatos que passam por sua mente sobre a pessoa que você odeia são inúteis, normalmente até falsos.

Expresse o seu ódio

Um dos piores conselhos que se pode dar para alguém que está passando por um sentimento assim é “deixe assim”. Isso só traz o ressentimento com a outra pessoa, coloca apenas um cobertor sobre os sentimentos que possui em relação aos pensamentos e emoções incomunicativas.

Mesmo que geralmente este passo seja difícil de concretizar, e você é extremamente resistente à ele, a melhor forma é ser totalmente aberto e honesto com o outro, a melhor forma de livrar-se deste sentimento é expressando, dizendo isso à eles. Diga exatamente o que você sente.

Cultivar a raiva dentro de si em relação à outra pessoa é como agarrar-se a uma chama esperando a outra pessoa se queimar.

Você precisa trabalhar este sentimento dentro de si mesmo, com amor próprio, alimentando a sua autoestima, sendo honesto e aberto com alguém como uma forma de libertar-se deste fardo que você carrega e que precisa ser comunicado.

Quando consegue colocar isso em prática, será possível encontrar muitas vezes histórias que estava alimentando dentro de si mesmo como falsas ou incompletas.

Você possui o poder da fala por uma razão. Use-a!

Livre-se

Se você consegue analisar a sua história de diferentes pontos de vista, você consegue analisar como é possível que tenha desempenhado um papel em seu comportamento, e conseguindo se expressar para com outra pessoa com honestidade e sinceridade além de humildade, seu trabalho estará concluído essencialmente.

Se a outra parte ainda não está pronta para ouvi-lo, então cabe a você aceitar que eles simplesmente não estão dispostos a operar dentro de um estado de consciência que está disposto a ser franco, aberto e transparente.

Não deve-se alimentar o ressentimento, mesmo que eles não estejam dispostos a ouvi-lo. Se você não expressar o que está sentindo fará com que alimente ainda mais o sentimento de culpa aumentando ainda mais o seu sofrimento.

Aceite que é possível que eles não a mesma sabedoria e evolução espiritual que você está buscando, para conseguirem perceber e analisar o seu ponto de vista e seguir em frente, sabendo que você fez a sua parte. Libertar-se de algo não significa exatamente não pensar mais naquilo.

Libertar não significa esquecer ou reprimir. Por vezes isso necessita de uma profunda reflexão e meditação para libertar-se de si mesmo deste sentimento e perdoar totalmente a outra pessoa.

O sentimento de ódio é somente uma sensação, emoção natural a experiências como qualquer outro tipo de sentimento.

Porém, como qualquer tipo de emoção ou sensação, este sentimento surge dentro do nosso campo de energia e é fundamental exercitar o hábito de analisá-los, expressando e libertar-se deles. Se você se perceber sentindo ódio de algo ou de alguém, permita-se sentir ele por completo.

Uma vez feito isso, analisando, expressando e em seguida, libertando-se dele, ele deixa de ser ódio. Acaba por tornar-se uma lição como uma oportunidade para uma maior compreensão e evolução como ser humano.

Afinal de contas, você está buscando alimentar-se de tudo aquilo que é positivo para o seu campo de energia emocional, para atrair mais somente daquilo que você procura (Lei da Atração).

Acredito que isso irá ajudá-lo!

[AULA GRATUITA] Gênesis - Criando a vida dos seus sonhos