Sobre transições…

Hoje, lua nova, resolvi cortar meu cabelo e assumir meus cachos. Tem mais de uma década que faço progressiva, gosto de mim com o cabelo liso e acho mais prático, só que a verdade é que não faz bem para o cabelo, não é quem de fato sou, e gera uma certa escravidão, já que é preciso retocar a cada 3 meses.

E por isso tudo resolvi me libertar, dos padrões, da praticidade e da química. Confesso, que foi mais tenso do que quando resolvi “largar” minha vida “normal”. E nos últimos meses estava daquele jeito, metade cabelo liso e metade cacheado, e horrível! Mas estava com medo de desapegar do velho, de como seria o novo… Será que vou me adaptar? Será que vai ficar bom? É isso mesmo que quero? Até que hoje, resolvi encarar… e desapegar. Gosto da lua nova para começar novas coisas.

E essa é uma ótima analogia que podemos fazer com nossa vida. Quantos de nós não tem medo de deixar ir o velho para se abrir para o novo? Mesmo que o velho já esteja feio, te escravize de certa forma, e até te faça mal. Mas estamos acostumados com ele… e cortar ele de nossa vida, é abrir mão de algo que já se conhece, que de certa forma é confortável.

Mas assim como foi o meu processo de transição capilar, o nosso processo de transição de vida não precisa ser radical. Eu fui deixando o novo crescendo aos poucos, avaliando se era isso mesmo que queria, cortando devagar o velho. Até que quando me senti preparada, apesar de ainda receosa, fiz o corte final.

Assim como as decisões que queremos tomar. Nada precisa ser no impulso, de uma hora para outra… A ideia não é nos agredir. Vamos devagar, vamos com jeitinho, com carinho conosco mesmo. Que mudança você quer para sua vida?

Coloque um foco, trace um objetivo. E agora, quais são os passos necessários para se chegar lá? Precisa juntar dinheiro? Precisa começar um curso? Precisa mudar de cidade? Precisa romper um relacionamento? Identifique as etapas, escreva num papel. Faça seu plano!

E coloque metas, datas, isso ajuda… Cada etapa concluída, deve ser celebrada, e dá uma satisfação de que está mais próximo do objetivo.

E tudo é um processo, e tudo leva um tempo… E aí cabe a você decidir cada tempo que quer dar para cada fase. Alguns são mais radicais e já vão lá e fazem, outros preferem ir com mais cautela, testando. E o fato é que não tem certo ou errado, melhor ou pior, o importante é fazer, e da melhor forma para você. O que não pode é deixar de sonhar, deixar de ter objetivos, e principalmente, de acreditar!

Faça sua transição, e celebre sua coragem em se movimentar, de deixar o velho para se abrir ao novo.

O que achou do artigo?