Por que os casamentos não duram como antigamente?

Ficar para sempre juntos, mesmo que cheguem os dias de tristeza e aflições, é o juramento que vemos com frequência nas cerimônias. No entanto, a relação dos casais está terminando cada vez mais rápido nos últimos anos. Mas por que será que os casamentos de antigamente duravam tanto? Veja alguns motivos!

A admiração era demonstrada constantemente

Atualmente, é muito comum apontar os defeitos do outro com frequência, sem lembrar que essa pessoa também possui qualidades. Os casais com relacionamentos duradouros sabem a importância de elogiar o que o parceiro fez de bom. Não se trata de fazer isso de forma exagerada, sem espontaneidade, mas sim, de saber o momento certo de reconhecer as virtudes do seu amor.

Na era do fast food, as pessoas se encantam e se desencantam muito rápido. Desconhecem que amar é muito mais que dizer “eu te amo” diariamente. Esquecem que o amor está nos pequenos detalhes.  

O individualismo ficava fora das relações

Cada um pensa no que vai ser melhor para a sua vida e ninguém avalia o efeito que isso terá no dia a dia do parceiro. Nossos pais e avós, assim como alguns casais que fazem de tudo para ter um casamento longínquo, veem a relação como um “trabalho em equipe” – todas as decisões que podem afetar a vida a dois são tomadas em conjunto, sempre colocando na balança os prós e os contras, ambos estão comprometidos a darem o seu máximo para fazer o outro feliz. Existe coisa mais linda?

Tinham um conhecimento profundo da relação

Interesse! Essa é a palavra que rege as relações infindáveis nas décadas passadas ou nas atuais. A vontade de conhecer o que atrai a atenção do parceiro, que agrada, conquista e faz trasbordar de alegria, assim como saber o que promove o efeito contrário (causa dor, machuca, faz sofrer). Além disso, nos relacionamentos em que um sabe exatamente o que o outro pensa, a liberdade flui, não é preciso ter medo de se expressar, a relação fica mais leve, mais segura.

Aprendiam a superar as dificuldades

Positividade para aceitar as dificuldades e cumplicidade para superá-las. Esses são dois segredos preciosos de relacionamentos antigos e que duram até hoje. Os casais duradouros sabem que o amor não é descartável e que não deve ser deixado de lado quando surgem os problemas. Eles trabalham para que tudo fique bem.

A lei da atração diz que você traz para sua vida o que sente, por isso se o seu desejo for viver feliz com o seu parceiro, independente dos problemas, assim será!

Aceitavam o que não podiam mudar

Pessoas que possuem relacionamentos com mais de 30 anos, são conscientes de que nem todas as dificuldades podem ser superadas e aprendem a conviver com isso. Principalmente, se estiverem ligadas a mudança de personalidade do parceiro. Elas sabem conviver com as diferenças e respeitar a cada dia mais o marido ou mulher.

Estas ações simples tinham o poder de fortalecer a relação e fazer com que o casal chegasse cada dia mais longe. Ter uma boa relação não significa não discutir nunca, mas saber que a reconciliação é valiosa e que o amor deve prevalecer.

E você, valoriza essas atitudes no seu relacionamento? Compartilhe sua opinião com a gente nos comentários!

Eu, Catarina, sempre indico aos meus leitores o livro de um grande amigo meu, chamado Nicholas Johnson. Caso você não o conheça, você logo saberá mais sobre ele. Como a maioria dos temas que escrevo se trata da Lei da Atração, o livro também entra nesse tema.

Nicholas escreveu um livro muito completo, com exercícios e conhecimentos poderosos e nunca antes mostrados sobre a poderosa Lei da Atração e os benefícios que ela trás para nossas vidas.

Como eu sempre indico para meus leitores, dessa vez não farei diferente. Caso queira começar a praticar tudo que ele ensina e aprender a fazer o universo conspirar a seu favor, responda este rápido quiz, dessa forma eu saberei se você realmente quer descobrir os ensinamentos poderosos de Nicholas Johnson.

O que achou do artigo?