Despertar ou loucura? Como o mundo vê

Muito tem se comentado sobre Jim Carrey, que está com depressão, que surtou, que está maluco… E é engraçado ver como a sociedade reage sobre o comportamento de alguém que, ao meu sentir, simplesmente se ILUMINOU.

Sim, Jim Carrey despertou, e hoje está livre e mais consciente de quem realmente é, do que é isso tudo aqui, do que é a vida.

Associamos muito a “iluminação” àqueles que foram grandes mestres na história do nosso planeta, sendo os “mais famosos”, Buda e Jesus. E esquecemos que somos todos mestres, e que só temos que despertar, acordar, ou usando o tempo espiritual, se iluminar.

E é interessante ver a repercussão que tem tomado o fato de alguém que, como ele mesmo diz, ter conseguido tudo que todo mundo sonha: fama, influência e dinheiro, para perceber que não é isso que traz felicidade, e que tudo isso é uma grande ilusão… Jim, é uma pessoa conhecida mundialmente, então tudo que fala, tem uma repercussão grande, e a coragem dele se assumir como tem feito, é lindo de ver.

Termino de assistir Jim & Andy com um sentimento de orgulho, de gratidão e mais que isso uma profunda admiração por uma pessoa que quando criança, por mais que fizesse filmes engraçados eu não achava a menor graça.

É paro para pensar sobre isso também. Hoje o Jim Carrey é um cara bem diferente do que foi no início de sua carreira, fato que hoje ele reconhece, e não tem o menor receio de falar sobre isso.

E me pergunto porque não gostava dele antes, e nesse documentário Jim & Andy (que tem no Netflix) fica claro… Jim no início de carreira tinha um foco, ser rico e famoso, e para isso teve que interpretar um papel da vida real, mas atrás daquele sorriso, e piadas, ele escondia quem ele era de verdade… na verdade ele nem sabia mas quem ele era de verdade. Os filmes que interpretou mostram muito isso, como o o próprio “Máscara”. E talvez eu já fosse uma criança com uma certa sensibilidade pq sempre achei tudo muito falso, incoerente. Porque assim era… (E não somos todos assim? Colocamos nossas máscaras para agradar, e sermos amados e aprovados pelos outros?).

Mas ao longo do tempo os tipos de filmes que ele foi fazendo foram mudando, e como ele diz, ele foi mudando, e os filmes meio que acompanhavam esse seu momento. O Show de Truman, é maravilhoso! Não tem como fazer um filme daquele e continuar na bolha.

Jim Carrey hoje chama atenção do mundo pelos seus comentários “sem sentido”, e eu te digo, os comentários dele de louco não tem nada… E a tal “depressão” nada mais é que o momento de desconstrução, de questionamento; onde revemos nossa vida, nossas escolhas, nosso modo de ser. Desconstruir não é um processo fácil, e muitas vezes é bem doloroso… mas faz parte, e é sempre para o nosso melhor, nosso crescimento, nossa evolução.

No final de Jim & Andy, ele fala algumas vezes sobre o chá que está tomando durante a gravação da entrevista… e para mim até sua menção ao chá não é a toa (chá e expansão da consciência. Hummmm… ;)). São sutilezas, e quem quiser pode tirar muito conhecimento de muita coisa que é compartilhada por ele em 1:30h.

E por isso o sentimento que me vem é de gratidão. Por que? Por estar viva aqui agora, nesse momento. Estar presenciando isso tudo, vendo as mudanças que estão acontecendo, sentindo os processos que estamos passando, as transições que estamos vivenciando. E que está cada vez mais “a mostra”, basta querer ver.

Assim como Jim, centenas de pessoas estão passando por este despertar, e isso não o faz mais especial que ninguém, mas para mim é bem simbólico por conta da notoriedade que ele tem, então reverbera mais longe de alguma forma. E ele resolveu se mostrar, escancarar isso para o mundo, e de uma forma bem peculiar, livre do julgamento alheio, aceitando ser quem é, entendendo suas emoções, e sem medo de dizer para o mundo o que pensa e sente.

Espero que ao invés de taxá-lo de louco, doente e outros rótulos, que as pessoas se dêem a oportunidade de escutar o que ele realmente está querendo nos dizer.

E mudem seu conceito em relação a ele… eu definitivamente mudei!

3 Comments

  1. Ana 1 de dezembro de 2017
  2. Juscelino Santos 2 de dezembro de 2017
  3. Gloria 3 de dezembro de 2017

O que achou do artigo?